Gota D'água

Trabalhadores, vereadores, população e Sindae unidos pelo Saae de Bom Jesus da Lapa

17/12/2019

As ameaças de privatizar o serviço feitas pelo prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, promoveram a união da categoria e ganhou apoio dos vereadores de diferentes partidos. Isso inverteu o movimento: agora, em vez de privatizar, a cobrança na cidade é por mais investimento para a melhoria dos serviços prestados pelo Saae, autarquia que vem atendendo a contento a população, diferentemente do que acontece em municípios vizinhos, onde o abastecimento de água foi privatizado e a comunidade reclama de preços abusivos e falta d’água em vários bairros.

O prefeito criticou o Saae quando houve um quebramento de uma rede (o que não é difícil de acontecer) e quando o abastecimento foi suspenso por faltar energia na estação. Nesse último caso, “esqueceu” de culpar a Coelba, curiosamente uma empresa privada, de empresários espanhóis, e muito criticada pela população baiana. Sua crítica foi apenas para o Saae, um serviço mantido pela própria Prefeitura.

Essa conduta deixou patente para os vereadores o interesse do prefeito em privatizar a água. O município vizinho de Serra do Ramalho privatizou: a empresa que ganhou a licitação opera obtendo bom lucro, mas o que fica é muita reclamação do povo. Aliás, é bom lembrar: na década de 90 virou moda privatizar a água, agora a moda se inverteu e a maioria das cidades do mundo inteiro está retomando os serviços da iniciativa privada. Sofreram com tarifas muito caras e qualidade ruim do serviço.

O Sindae está unido à mobilização dos (das) trabalhadores (as) de Bom Jesus da Lapa e lá esteve recentemente se reunindo com a categoria e conversando com os vereadores. Foram lá o companheiro e diretor José Lopes e a companheira e diretora Alessandra Almeida para traçar um plano de luta e, junto com a categoria, mostrar à comunidade o quanto a privatização será perversa. A luta que nos une é para que o serviço de água e esgoto chegue para toda a população.

Alessandra destacou a união da categoria, afirmando que “se todos os servidores dos Saae’s da Bahia tivessem a mesma mobilização de vocês nenhum serviço teria sido privatizado. Vocês dão um grande exemplo de luta, até para que as políticas de saneamento sejam valorizadas”. 

Ela e José Lopes lembraram que a privatização é prioridade do governo Bolsonaro, estando no Congresso Nacional uma proposta nesse sentido. Quer beneficiar empresas privadas em detrimento das companhias estaduais e autarquias municipais. No caso de Bom Jesus da Lapa, conforme deixaram claro os trabalhadores, o que falta ali é investimento da Prefeitura para melhorar o serviço e isso será cobrado do prefeito.