Gota D'água

Tribunal determina auditoria na Emasa e não explica motivo

26/08/2019

Sem tornar público o motivo da inspeção, o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) determinou uma auditoria nas contas e documentação da Emasa. A decisão saiu na semana passada e já designou os dois auditores que farão uma devassa na empresa que está sendo colocada à venda num contrato que, ao longo de 30 anos, pode render cerca de R$ 2,5 bilhões.

O prefeito Fernando Gomes deu início a mais uma tentativa de repassar a Emasa para a iniciativa privada. Nas consultas públicas, ele já percebeu que a privatização é repudiada pela população, que teme mais aumentos de tarifas, piora na qualidade do serviço e blefe da prefeitura ao dizer que a iniciativa privada vai investir na melhoria dos serviços.

Estudo da Fundação Getúlio Vargas indica que, numa eventual venda da empresa, o vencedor da licitação terá de aumentar imediatamente a tarifa em 44% para começar a operação dos serviços, além de reduzir benefícios tarifários para a população mais pobre. O modelo de contrato, inclusive, estabelece percentuais destinados para a agência de fiscalização e repasses para a Prefeitura, inclusive através da cobrança do Imposto sobre Serviços, que totaliza 8,5% a mais numa conta a ser paga pela população.