Gota D'água

Emergência planetária: Destruição da Amazônia deixa o mundo em pânico com Bolsonaro

26/08/2019

Imagens que falam por si, mostrando animais esturricados sobre uma terra tomada de cinzas, e números que gritam o tamanho do crime ali praticado: os focos de incêndio são contados aos milhares. A Amazônia brasileira está sendo consumida pelo fogo, devastada numa proporção nunca vista antes, e o mundo entra em pânico, sabedor que isso tem consequências imediatas e futuras para a sobrevivência do planeta. É uma perda irreparável.

A responsabilidade pelo crime que segue destruindo a floresta está sendo atribuída ao presidente Bolsonaro, que desmontou toda a estrutura de fiscalização e de licenciamento, além de incentivar a invasão e garimpagem em reservas ambientais e terras indígenas. Os presidentes dos principais países do mundo já começam a retaliar o Brasil, seja com a suspensão de importações de produtos nacionais, seja com a não assinatura do acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul. Alemanha e Noruega já suspenderam repasse de milhões de dólares para a preservação ambiental no Brasil. A França cobra medidas mais duras ao país.

Atos de protestos foram realizados em diversos países e diante das embaixadas brasileiras. Em Salvador, onde justamente aconteceu uma conferência regional do clima, foram três manifestações. Onde teve ministro de Bolsonaro houve vaias.

É dolorosa a marca da destruição traduzida em números: em Apuí (AM), foram registrados 1.754 focos de incêndio e destruída uma área de 151 quilômetros quadrados; em Altamira (PA), 1.630 focos de incêndio, 297 quilômetros devastados; em Colniza (MT), 869 focos, 82 quilômetros quadrados destruídos...

Empresários e ruralistas, até então apoiadores de Bolsonaro, já estão preocupados com as consequências na queda de contratos, de seus lucros e sobrevivência de suas empresas. Se antes aplaudiam o discurso de destruição da floresta, agora temem os seus efeitos. Na tentativa de se recompor perante o cenário devastador, Bolsonaro (e sua equipe de ministros incendiários e devastadores) oferece as forças armadas para intervir e tentar conter o fogo. Outros países também oferecem ajuda: Equador, Bolívia, Venezuela, Argentina, Estados Unidos... Todos temerosos do que está por vir.

Enquanto a Amazônia arde, o mundo vive em emergência. É preciso conter o fogo, é preciso conter Bolsonaro... Como está, a humanidade corre perigo.