Gota D'água

Nova remessa (42 agrotóxicos) de venenos é liberada pelo governo

08/07/2019

Em nova investida contra a saúde humana e do meio ambiente, o Ministério da Agricultura liberou mais 42 agrotóxicos para satisfazer o insaciável apetite de multinacionais e dos empresários rurais. Entre as justificativas apresentadas é de que os produtos dessa nova relação, divulgada no Diário Oficial da União no último dia 25, vai ajudar a baratear o preço dos “defensivos” e reduzir os custos da produção, além de que seriam produtos “genéricos” que já faziam parte do rol disponível no mercado.

Além do novo agrado aos ruralistas brasileiros, a medida do Governo Bolsonaro beneficia gigantes internacionais na produção dos venenos. A maior parte dos produtos dessa relação de 42 novos agrotóxicos liberados para o mercado brasileiro é fabricada pela Bayer, Dow Agrosciences, Syngenta, Nortox, Rainbow e Proventis Lifescience.

Um novo herbicida figura na relação: é o Florpirauxifen-benzil, que teria modo de ação inédito no país. Segundo a pasta, o ingrediente é “altamente eficiente para plantas daninhas de difícil controle”. Vale registrar que a última concessão de registros de agrotóxicos no Brasil ocorreu em 21 de maio. Até ali eram 169 novos produtos, num rol que inclui o glifosato, polêmico ingrediente associado ao câncer, que levou a empresa Bayer à condenação de multa por 80 milhões de dólares nos Estados Unidos.

Estamos assistindo uma crescente escalada do veneno no Brasil. Segundo dados do próprio Ministério da Agricultura, em 2018 batemos recorde, quando o Brasil abriu a entrada de 450 agroquímicos, contra 405 em 2017 e 277 produtos em 2016.